Praça Raul Soares, 85 - Belo Horizonte - MG (31) 9357-1951 | (31) 3292-7257 contato@evotekone.com.br
O que é a alergia à creatina

O que é a alergia à Creatina

 O que é a alergia à Creatina? – O mercado fitness, que envolve desde academias até produtos alimentares que potencializam e aceleram os resultados dos treinos, como os suplementos, movimenta hoje no Brasil mais de 2,1 bilhões de dólares por ano.

Esse mercado vem crescendo cada vez mais principalmente devido ao boom dos influenciadores de lifestyle fitness, que, ao contrário do que acontecia antes com o domínio da mídia tradicional, como as revistas, em que eram expostos os corpos dos sonhos, hoje os donos desses corpos estão muito mais presentes e de maneira muito mais próxima da realidade do público, o que torna a tendência fitness também muito mais inserida nessas realidades.

Somado a isso, existe também o fator da menor disponibilidade de tempo das pessoas, sendo necessário que o que elas escolherem investi-lo dê resultados e que eles sejam alcançados de maneira rápida.

Assim, percebe-se um aumento significativo no movimento das academias, mas principalmente, dentro delas, o uso dos suplementos, que ajudam o atleta a alcançar seus objetivos, o seu corpo dos sonhos, mas de maneira mais eficiente e rápida, o que é também um grande responsável pela popularidade desses produtos.

Dentre eles, temos a creatina, uma das mais procuradas para esse fim, mas que nem todos podem consumir, por isso, nesse artigo vamos responder questões como: “O que é a Creatina?”, “Como a Creatina age no organismo?”, “Os benefícios do uso da Creatina”, “A Creatina tem efeitos colaterais?”, “O que é a alergia à Creatina?” “Como identificar a alergia à Creatina?”, “Quais são os sintomas da alergia à Creatina?”, “A importância da orientação médica para o consumo de suplementos” e, ainda, uma conclusão que retomas esses assuntos para acabar com qualquer dúvida sobre o assunto!

 

O que é a Creatina?

A creatina é uma substância formada por um conjunto de aminoácidos encontrado nas fibras musculares e no cérebro.

Tais aminoácidos, considerados não essenciais, são produzidos no nosso próprio organismo, nesse caso, no fígado e nos rins.

A quantidade produzida por esses órgãos, entretanto, é considerada apenas metade do necessário para o corpo, sendo a outra metade obtida por meio de ingestão de carne, que é o significado do termo grego kreas, do qual se originou a palavra creatina, ou de suplementação.

 

Como a Creatina age no organismo?

Ao ser produzida, a creatina participa do processo de produção de moléculas de ATP (adenosina trifosfato), que armazenam energia em suas ligações químicas, e é transportada pela corrente sanguínea até os tecidos musculares, onde, após ser fosforilada, ela se transforma em uma excelente reserva de energia devido à ligação fosfato, altamente energética.

Assim, as pessoas que têm interesse em elevar seus níveis de ATP a fim de aumentar a produção e reserva energética, além de a consumirem por meio da alimentação, procuram pelos suplementos de creatina, muito populares no meio de atletas cujas atividades físicas são intensa e curtas, como os fisiculturistas e os lutadores de jiu-jitsu, muay thay e judô.

Ao ser usada por esse tipo de atleta, o suplemento, que pode ser encontrado nas formas de pó, comprimido e cápsula, promove o ganho energia, aumentando a resistência, e fortalece os músculos do atleta, aumentando sua força, além de agir na regeneração muscular, reduzindo o tempo necessário para recuperação de cada exercício, o que provoca melhora no desempenho nas atividades físicas e, consequentemente, melhora nos resultados objetivados.

 

Os benefícios do uso da Creatina

Não é à toa que os suplementos de creatina são tão populares entre os atletas: os benefícios percebidos no treino com uso da suplementação de creatina são muitos, como: mais energia nas atividades físicas intensas e curtas, ganho de força muscular, diminuição do tempo de  recuperação dos músculos entre um exercício físico e outro, aumento dos músculos por meio do aumento da produção de energia, redução de danos às células musculares, diminuindo a inflamação após exercícios pesados, queima de gordura devido à manutenção do tecido muscular magro metabolicamente ativo, diminuição da gordura corporal devido ao aumento das contrações musculares e fortalecimento dos músculos somado à melhora da resistência, podendo gerar, ainda, melhora na saúde cardíaca e de distúrbios neuromusculares.

Assim, além de mais disposição, mais força e mais resistência para praticar os exercícios, melhorando o desempenho nos treinos, a recuperação muscular após o esforço físico feito é bem mais rápida, de maneira que é possível treinar com a mesma qualidade depois de um treino pesado, e, ainda, ter os resultados potencializados tanto pela melhora no desempenho nos treinos, quanto pela queima de gordura proporcionada pelo suplemento.

Além disso, estudos clínicos mostram que o uso da creatina pode melhorar os resultados de tratamentos de condições relacionadas a perda de força muscular e atrofia, como a distrofia muscular e a ELA (esclerose lateral amiotrófica), da diabetes tipo 2, por ajudar no controle do açúcar no sangue e, até do Parkinson, por atuar estabilizando a função mitocondrial e agir como antioxidante.

Existem, ainda, estudos que apontam o suplemento monohidratado como benéfico para as funções cerebrais, incluindo a memória, para o metabolismo e a qualidade muscular de idosos, evitando a perda de massa muscular recorrente nessa faixa etária, e para a prevenção e tratamento do Alzheimer, cuja deterioração do metabolismo da creatina é caraterístico.

A Creatina tem efeitos colaterais? O que é a alergia à Creatina

O que é a alergia à Creatina – Assim como qualquer outro suplemento ou substância inserido artificialmente nas composições do organismo, o uso da creatina pode provocar reações típicas de defesa do corpo ao não reconhecer isso como natural daquele meio.

As possíveis reações que cada corpo pode ter são diferentes devido às suas especificidades e, em muitos casos, acontecem apenas durante o período de adaptação do corpo, no período inicial do consumo da creatina, em que o corpo ainda está se ajustando ao aumento da concentração da substância no meio.

Um dos possíveis efeitos da creatina é o aumento da retenção de líquidos, o que pode oferecer risco aos que pretendem usar o suplemento mas têm tendência a formar pedras nos rins.

Além disso, como sabe-se que a formação da urina depende das substâncias que o corpo precisa eliminar, a creatina pode aumentar a produção do líquido e a consequente eliminação dele, pois, ao gerar energia por meio do fornecimento do fósforo para as moléculas de ATP, ela se transforma em creatinina, substância que não é útil mais ao organismo.

Assim, devido à presença dessa substância que o organismo não aproveita, ele provoca estímulos que geram sede para que seja ingerida uma maior quantidade de água a fim de facilitar sua eliminação na urina, sendo produzida mais urina devido ao maior consumo de água.

Devido ao aumento da quantidade de líquido que a pessoa passa a consumir, caso essa quantidade seja exagerada, pode ser que isso provoque uma diarreia, que pode levar, ainda, a um quadro de desidratação devido à eliminação excessiva dos líquidos, podendo trazer com ela também sintomas como febre, tontura e enjoo.

Por fim, um dos efeitos colaterais que podem vir a acontecer é o estímulo das glândulas sebáceas, o que provoca aumento da produção de sebo, podendo aumentar a oleosidade da pele.

 

O que é alergia à Creatina?

O que é a alergia à Creatina – As alergias são séries de reações provocadas por uma hipersensibilidade do sistema imunológico a componentes específicos que não costumam se comportar dessa maneira em outros organismos.

Ou seja, ter alergia a algo significa que o sistema de defesa do corpo reconhece aquilo como possível ameaça e passa a tentar combater aqueles elementos estranhos a ele, provocando os sintomas de uma reação alérgica.

Os sintomas mais comuns são: vermelhidão nos olhos, aparecimento de manchas que podem provocar coceira, abundância de fluxo nasal, falta de ar e inchaço. Assim, tem-se que a alergia à Creatina seria o aparecimento de sintomas como esses relacionados ao uso dela.

A existência dessa alergia, entretanto, é refutada por alguns devido à presença da substância nos organismos independente do consumo do suplemento, sendo produzida pelos rins e pelo fígado e obtida, ainda, por meio do consumo de alguns alimentos como a carne, o que provocaria alergia também nessas condições, sem o consumo do suplemento.

 

Os sintomas da alergia à Creatina – O que é a alergia à Creatina

O que é a alergia à Creatina – Apesar das refutações à existência de uma alergia à Creatina, foram relatados casos de pessoas que apresentaram sintomas de reação alérgica após fazerem consumo do suplemento.

Os sintomas relatados por essas pessoas abrangem erupções cutâneas, chiado no peito ou asma e falta de ar, que correspondem a alguns dos sintomas característicos das reações alérgicas.

É possível, contudo, que as pessoas estejam relacionando as reações à causa errada, sendo mais provável que os suplementos de creatina que causaram essa reação sejam de qualidade ruim e contenham mais componentes além da creatina, que podem ser os verdadeiros causadores dessas alergias.

 

A importância da orientação médica para o consumo de suplementos – O que é a alergia à Creatina

O que é a alergia à Creatina – Assim, se faz de extrema importância a consulta de médicos e profissionais da área antes de consumir suplementos, o que não é diferente no caso da creatina.

Essa orientação profissional é necessária para que sejam analisadas as necessidades e as especificidades de cada corpo e, dessa maneira, seja indicado ou não esse uso e caso ele seja, o acompanhamento estipula as quantidades e os melhores jeitos de consumir o produto para obter os melhores resultados e da forma mais segura.

Desse modo, a consulta dos especialistas se mostra essencial não só para a saúde, evitando efeitos colaterais e reações indesejados, mas também para a obtenção de melhores resultados.

Além disso, é importante lembrar que o consumo indiscriminado da Creatina, assim como o de qualquer outra substância, pode provocar reações indesejadas no corpo, o que reforça ainda mais a necessidade de consumi-la com consciência e com orientação profissional.

 

Onde comprar Creatina de qualidade e procedência confiáveis?

O que é a alergia à Creatina – Nessa perspectiva, percebe-se a grande importância na escolha da Creatina não só para alcançar os objetivos mais fácil e rapidamente, mas também para assegurar a saúde ao fazer esse consumo.

Conheça nossos produtos de extrema qualidade e você não vai ter coragem de submeter seu corpo ao uso dos outros produtos de qualidade inferior. E o melhor: não pague preços absurdos por isso! Há mais de 5 anos trabalhando com suplementos, somos líderes no mercado e garantimos qualidade e os melhores preços.

 

Conclusão sobre o artigo: O que é alergia à Creatina?

A alergia à Creatina, afirmada por alguns e negada por outros, sendo ela proveniente da própria substância ou de outros componentes que podem ter sido adicionados ao suplemento, pode ser evitada ao tomar consciência das condições, necessidades e limitações do próprio corpo, obter indicação profissional do uso dos produtos e adquirir apenas os que tiverem procedência e qualidade confiáveis, evitando o consumo de sustâncias que podem provocar alergia e seus sintomas.

Dessa maneira, o consumo, além de muito mais seguro, é ainda mais proveitoso, pois é estabelecido de acordo com as características específicas de cada organismo.

 

Gostou do nosso artigo sobre O que é alergia à Creatina? No nosso blog você encontra vários outros sobre a creatina e muito mais! Separei aqui os que acho que você vai mais gostar:

 

 

Leave a comment