Praça Raul Soares, 85 - Belo Horizonte - MG (31) 9357-1951 | (31) 3292-7257 contato@evotekone.com.br
Comer pasta de amendoim antes ou depois do treino

Comer pasta de amendoim antes ou depois do treino

A história da pasta de amendoim – Comer pasta de amendoim antes ou depois do treino

A tradicional iguaria americana conhecida por peanut butter, manteiga de amendoim, que também é chamada de creme de amendoim, é feita à base de amendoins torrados e moídos, transformando-os em uma pasta. Apesar de acreditar-se que os primeiros a produzirem o alimento foram os povos incas, a pasta de amendoim começou sua trajetória rumo ao sucesso quando um médico em St. Louis, no estado do Missouri, a serviu a seus pacientes idosos que tinham dificuldade em mastigar, sendo depois disseminada pelo também médico Ambrose Straub, que disponibilizou o produto para comercialização nas lojas em frascos selados e patenteou uma máquina para produção dele. Depois, outro médico, John Harvey Kellog patenteou o processo de produção e popularizou a peanut butter como um alimento nutritivo, sendo incluído nos cardápios de restaurantes de luxo. Comer pasta de amendoim antes ou depois do treino

À medida que o processo foi se tornando mais simples, a manteiga de amendoim foi deixando os estabelecimentos de luxo e passando a ocupar cada vez mais as casas dos estadunidenses, tendo sido inclusive uma das principais fontes de proteína da população dos EUA durante a Grande Depressão devido a seu menor custo comparado ao da carne. O creme era usado principalmente no famoso peanut butter and jelly sandwich, que consiste em um sanduíche com duas fatias de pão de forma recheadas com ele e geléia, o que se popularizou ainda mais depois da Segunda Guerra Mundial por causa de um conjunto de fatores como o sabor, o custo, o valor nutricional e a facilidade na preparação. Hoje, estima-se que um americano consuma em média 1500 desses sanduíches antes de se graduar no ensino médio.

A pasta de amendoim fit – Comer pasta de amendoim antes ou depois do treino

Assim, o alimento chegou ao Brasil e já recebeu novas versões como a feita à base de paçoca, também feita de amendoim, e, principalmente, a mais popular atualmente, a pasta de amendoim fit. O alimento possui características excelentes para se combinar com os treinos em academias, como a grande quantidade de proteínas e fibras, estima-se que em uma quantidade de duas colheres de sopa do alimento, equivalente a aproximadamente 230 calorias, contenha 3 gramas de fibras e 7 gramas de proteínas, o que levou as marcas de alimentos saudáveis e suplementos a desenvolver uma versão menos industrializada dele, se diferenciando da versão tradicional pela não adição de açúcar, sal, corantes, emulsificantes, conservantes, xaropes e aromatizantes, sendo mais adequada aos preocupados com a saúde e principalmente com a forma física. Sendo assim, quão mais natural é a pasta, mais adequada às dietas ela se torna.

Assim, temos uma manteiga de amendoim fit composta basicamente por amendoim torrado e processado, contendo ainda, assim como na versão tradicional, devido ao caráter oleaginoso do amendoim, muitas gorduras, o que gera preocupação nas pessoas em dieta, mas é um ponto positivo, pois as gorduras em questão são as dos tipos mono e poli insaturadas, conhecidas como “gorduras boas” por atuarem na regulação do LDL (Low Density Lipoprotein), o colesterol ruim, do triglicérides e do índice glicêmico.

A matéria prima da pasta de amendoim, além disso, também é fonte de minerais como o zinco, vitaminas como a E, fosfolato, resveratrol e magnésio, combo que ajuda na prevenção de doenças cardíacas, da diabetes em adultos e da câimbra e promove o fortalecimento do sistema imunológico.

Já o produto final, a pasta, é rica em fibras, o que provoca a sensação de saciedade, o que reduz a quantidade de alimentos necessários para provocá-la, sendo assim excelente para as dietas, e, ainda, também ajuda no controle do açúcar no sangue e melhora o funcionamento do intestino. Ele pode ser, ainda, consumido puro, em pães, torradas, biscoitos, panquecas e crepiocas, integrais e feitos com ingredientes saudáveis, em frutas, principalmente a banana, e ser usado como ingrediente em receitas fit como as de milkshakes, bolos, tortas e doces, que também utilizam ingredientes condizentes com as dietas.

Comer pasta de amendoim antes ou depois do treino

Assim, surge o questionamento de se ela deve ser consumida antes ou depois dos treinos para alcançar um melhor desempenho e melhores resultados, aproveitando os benefícios dos nutrientes da melhor maneira possível. Não existe uma resposta certa para essa pergunta, pois existem vantagens ao consumir o produto em ambas situações, o que leva à necessidade de analisar os objetivos do consumo do alimento junto aos treinos.

Por causa da concentração e proteínas de ser uma boa fonte de energia, se consumida antes dos treinos, a pasta de amendoim pode potencializar o desenvolvimento da musculatura e, assim, melhorar o desempenho da atividade, possibilitando melhores resultados.

Além disso, ao fazer esse consumo com um carboidrato, como o pão, antes do treino, o índice glicêmico da refeição é reduzido, o que atrasa a absorção do carboidrato e evita a hipoglicemia, ou seja, a baixa concentração de glicose no sangue, que causa fraqueza e pode levar ao desmaio durante o exercício. Já o consumo da pasta de amendoim no pós treino, por ela conter polifenol resveratrol, que provoca o aumento da produção de HDL (High Density Lipoprotein) pelo fígado, reduzindo a oxidação do LDL, a diminuição da produção do “colesterol ruim”, o que reduz o risco de acúmulo dele nas artérias e desenvolvimento de doenças cardiovasculares, e, principalmente, o estímulo da produção de óxido nítrico nos músculos, ajudando a recuperar as lesões musculares causadas pelos exercícios, também é muito benéfico.

Comer pasta de amendoim antes ou depois do treino?

Leave a comment